Tainnan Almeida

TV e sua Evolução para a Sociedade

Posted in Geral by Tainnan Almeida on 10 de abril de 2011

Desde sua chegada ao Brasil em 1950 a TV tem tido um papel importante na sociedade, sobretudo, na política. Seu conteúdo por vezes didático e informativo põe o telespectador a refletir sobre a sociedade em que vive.

Alvo de duras críticas de teóricos de diversas áreas, e por ser um dos símbolos da chamada “Indústria Cultural”, a TV no Brasil esteve presente nos momentos importantes da história política do Brasil causando, por vezes, controvérsias.

Para ilustrar pode-se citar sobre Carlos Lacerda, principal oposicionista de Getúlio Vargas. Lacerda se utilizava da imprensa como “tribuna de ataque” a Vargas.

Num documentário produzido pela TV Globo, tendo Pedro Bial como narrador afirma: “Querendo ou não a TV forma opinião”. A frase faz jus às críticas dos teóricos da escola de Frankfurt, sobre a influência dos meios de comunicação na sociedade e seus tipos de consumo. Para Jean Baudriland, um dos grandes teóricos da pós-modernidade, e autor de um livro chamado “Das maiorias silênciosas”, onde fala sobre massa, que “não é um conjunto nem um grupo de pessoas, massa não possui identidade, ela apenas existe na sociedade como agente pacífica de um cultura industrial”.

Pelos “anos de chumbo” vivenciados no Brasil a TV se mostra como ferramenta de manipilação em que o governo mantinha o domínio sob a censura imposta pelo regime militar. “Enquanto havia repressão e prisão em massa de estudadantes a TV transmitia desfiles de moda” acrescenta o documentário, o que traz à memória o recente fato do fim dos anos 1980  e início de 1990 nas eleições para presidente da república entre Luís Inácio e Fernando Collor, quando houve rumores de manipulação na edição do famoso jornal diário da TV Globo o Jornal Nacional, a favor de Collor que vencera a eleição.

Enquanto havia manifestações de impeachment a Fernando Collor, a televisão mantinha em evidência o caso de uma jovem atriz que fora assassinada pelo namorado, também ator.

Contudo, o que se deve analisar sobre a TV nos dias de hoje? Será que o telespectador tem de ser seleto no que quer assistir? Ter senso-crítico?